quarta-feira, março 21, 2007

Dia Mundial da Poesia








(pintura de Mário Cesariny)

Faz-se luz pelo processo
de eliminação de sombras
Ora as sombras existem
as sombras têm exaustiva vida própria
não dum e doutro lado da luz mas do próprio seio dela
intensamente amantes loucamente amadas
e espalham pelo chão braços de luz cinzenta
que se introduzem pelo bico nos olhos do homem

Por outro lado a sombra dita a luz
não ilumina realmente os objectos
os objectos vivem às escuras
numa perpétua aurora surrealista
com a qual não podemos contactar
senão como amantes
de olhos fechados
e lâmpadas nos dedos e na boca

Mário Cesariny

3 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

São uma e uma só, a luz e a sombra.
A nascente o copo está meio cheio, a poente meio vazio. Depende apenas do fuso horário do coração.
O gozo da luz aprende-se na sombra, nela reina a razão, é ela que nos ensina a domesticar pirilampos.

21 de março de 2007 às 23:18  
Anonymous the infante da sagres disse...

"(...) que se introduzem pelo bico nos olhos de um homem."??? Bem... desconfianças à parte, de uma coisa estou certo: esta princesa louca escreve deliciosamente, mas faz poemas incompletos. Fica-lhes bem um toque final...

22 de março de 2007 às 12:48  
Blogger apereira disse...

:-) é, de facto deliciosa a escrita de Cesariny. O toque final que deste ao poema de ontem...foi 'assustadoramente' bonito ;-))))

22 de março de 2007 às 16:41  

Enviar um comentário

<< Página inicial