sábado, abril 15, 2006

What tha....




Onde estamos?...

Qual?...

2006, Portugal, Lisboa... algures a poucas horas do entardecer... o dia fez-se e continuava bonito e cálido...
eu e T decidimos rumar à cidade para fazer um presente para I; recorremos à lojinha de missangas, contas, fios e zingarelhos apropriados, mais badalada da zona (não vou, como é óbvio, publicitar e dizer que é aquela na R. Anchieta...com none italiano??? :-/) passámos algum tempo a desbloquear o sector cerebral, neutralizando a ideia de maneira a fazermos um colar único para a amiga.

padrão com padrão, missanga, contas e continhas, desarrumámos metade da loja...subtilmente, claro!!! O plano consistia, originalmente, em fazer a peça e tirar uma foto nossa, objectivamente, para PROVAR que tínhamos sido nós as criadoras.
T, enquanto eu estou a braços com o enrolamento dos arames, de alicate na mão, mordendo a língua... saca da minha mala a máquina e tira-me uma foto... nisto dois olhos perscrutores lançam-se sobre nós em tom agudo: - "DESCULPEM; VOU TER QUE VOS PEDIR PARA APAGAREM ESSA FOTO, É PROIBIDO TIRAR FOTOS AQUI"...

Eu, fico sempre constrangida nestas situações e para variar, sem reacção.... "huh, uh,..ah... ai..pah" T debate-se com a 'titã' obrigando-a a questionar-se acerca dessa "regra"... nunca tinha visto T em explosão inquisidora, uma autêntica cliente em reclamação (hihihih)... a rapariga só dizia que eram as "regras" da casa e que as tinha de respeitar, T, continuava a perguntar-lhe: - "MAS PORQUÊ, EXPLIQUE-ME???", ... e eu de alicate na mão... (com a caipirinha a fazer-me efeito)... ria-me desmesuradamente... T olha para mim com um olhar à "Damien" e corta-me o risinho nervoso com um: - "VAMOS EMBORA"... aí é que me vi... atrozmente num ciclo de respostas químicamente neurais em padrões distintos.... ou seja: - "huh?" (de olhos esbugalhados) ... nisto emerge uma cliente que aproveita o clima de tensão para questionar os preços das peças e para barafustar... as atenções desviaram-se de nós... e voltámos ao trabalhinho... ahahahah... eu continuava a rir-me, avariando a minha concentração na junção de peças... T também já se ria, tínhamos destabilizado :-)... era do açucar amarelo e das limas importadas...enfim...

Os ânimos acalmam... e a moça da loja já nos devia ter rogado umas trezentas pragas, por causa de um simples FLASH (não podem tirar fotos,... nha naha... bla bla bla... raios...que país é este???) concluíndo, terminamos a obra prima... ficou bonito, estávamos satisfeitas com a proeza e extremo bom gosto, ahahahah... a nossa I vai gostar, de certeza...

Vamos para casa a questionar estas coisas e a falar de relações minuciosas que se criaram na sociedade e destes sacripantas que andam por aí...

Adiante...

Ontem rumei à minha costa alentejana e gosto sempre de apanhar o ferry... até porque estava curiosa com as transformações que Troia está a sofrer, para seu bem... espero!!! , muita obra, muita grua... buracos até mais não e nada de alterações significativas... ainda cheira ao mesmo :-) ao menos isso...




Estou a comprar o bilhete, nisto vejo um "casalinho maravilha"... ela de bikini e malinha (das ... desculpem-me a expressão - das pixas...) a tira-colo, ele com ar de safari de Moscavide, meia preta e sandalinha castanha (eu sei que é feio falar assim das pessoas, mas a minha língua é de trapo e tem picos) TUDO NORMAL... as pessoas passam na rua... benepláticas, ninguém se parecia importar, aliás... é super-normal andar de bikini no meio da baixa... ou, no Centro Comercial... eu não julgo ninguém... aliás... ninguém trata daquelas pestes dos ciganos que importunam qualquer pessoa, mesmo se essa gritar bem alto, "FUCK OFF" (eles assim não percebem,,, era só para dar um ar mais cool, ao texto) "NÃO QUERO!!!!" enquanto se aguarda o ferry, a impingirem-nos óculos, máquinas fotográficas, até Ipods... for christ sake...

assim é que é...

Esqueçam as teorias de Freud, do iceberg e dos recalcamentos.. andem nús na rua, batam em deficientes (é normal diz o tribunal de menores - "qualquer bom pai de família, dá umas palmadas" ... ) no caso dos técnicos de uma instituição para crianças deficientes atarem-nos à cama, fecharem-nos em despensas escuras... etc; TUDO NORMAL ... aumentem os preços da gasolina mais 100 x... mas por favor, não tirem fotos nas lojas... sabe-se lá... pode dar prisão perpétua...

3 Comentários:

Anonymous Inês disse...

Estou seriamente a pensar passar o Sado e, tambem eu, rumar até à minha costa alentejana, um pouco antes da tua, mas igualmente com cheiro a mato. Boa Páscoa!

15 de abril de 2006 às 15:52  
Blogger Electrobot disse...

Falando dessa história do não se poder tirar fotografias, há uns meses ia eu no comboio da Fertagus, a caminho de Lisboa (para variar, para me ir "arruinar" na Flur...), e estava um casal estrangeiro, com o filho, a tirar fotos com uma máquina digital...eis que chega uma revisora a dizer que tal era proibido, e mais não sei quê...eles disseram que sim, ela virou costas, e eles lá continuaram a tirar fotografias...eheheh.

E eu fiquei a pensar "mas porque raios não se poderá tirar fotos dentro de um comboio?" Mais uma daquelas regras imbecis...

15 de abril de 2006 às 17:15  
Anonymous Bergamota man disse...

Qual é o problema de se andar nú na rua? Depende da rua.

16 de abril de 2006 às 21:07  

Enviar um comentário

<< Página inicial