quarta-feira, junho 14, 2006

Konbanwa (Boa Noite)


Ryuichi Sakamoto, o músico japonês conhecido como compositor de grandes bandas sonoras, nomeadamente "The Last Emperor" ou "Merry Christmas Mr. Lawrence, associa-se ao alemão Carsten Nicolai (Alva Noto) para um projecto de contrastes, que propõe um encontro entre o piano acústico de Sakamoto e a electrónica de música/imagem de Alva Noto.

Juntos, criaram "Vrioon", em 2003 (um dos melhores discos de electrónica, segundo a imprensa especializada), e "Insen", no ano passado. É este o nome do espectáculo que chega a Lisboa, depois de ter esgotado salas em cidades como Londres e Roma.
"Minimalista e impressionista, "Insen" foi gravado pela dupla separadamente (à excepção da faixa "Berlin"). Ao longo de quase dois anos, Alva Noto dedicou-se à manipulação dos sons gerados pelo piano de Sakamoto, sempre com respeito pela clareza das linhas musicais".

"O espectáculo "Insen" é muito mais que música. A forte componente multimedia, em harmonia com o fluxo dos instrumentos, promete proporcionar uma experiência única, na linha do objectivo de Sakamoto: "Quero derrubar os muros ou fronteiras entre géneros, categorias ou culturas. Em vez de construir muros ou fronteiras estou sempre a tentar combinar coisas diferentes".

Lisboa, nem parecia Lisboa... em noite quente, de luz meio apagada; o Stº António arrecadou o menino e fugiu da chuva...
Correria em frente ao Coliseu, passos na calçada escorregadia, apressados... são quase 22h00... dá tempo para tomar um café e entrar no "lazer". Grandes expectativas no lobby... figuras públicas pronunciam-se sobre o que se vai passar... o que se vai passar...uhhh ... mais baixinho, por favor...

A sala preenche...de longe um coliseu cheio... nem a todos atrai esta "cultura"... as luzes apagam e ouvem-se passos no palco... o génio e o talento estão a postos.

Luzes, sons inebriantes, estridentes... compassados e palpitantes fazem eco pela sala... ao fim de 10 min já se sente alguns presentes incomodados. Efeitos, sonoridades em metamorfose única vibram dentro de ti.... alguns dos presentes começam a abandonar a sala.

Fragmentos rítmicos, samples rasgados sincronizam com o piano... as cores continuam... fechas os olhos... ouves suspiros atrás de ti...

É uma música de sentidos, sensações e gestos... Ao engano foi muita gente que, na maior das certezas, esperava um Sakamoto ao piano a deslumbrar com melodias "bleu".

Os resistentes gostaram, pediram mais... aplaudiram... porque, de facto, foi como contar uma história ao vento, de olhos fechados...mente em sintonia e poros abertos... nem um grão de pó escapou, nem uma folha se deixou de sentir... nem uma luz se apagou!!! Um "debate" entre a melancolia glamorosa e a electricidade de um raio de sol.
Uma noite só!!! E muito mais haveria para dizer... mas há coisas que não se descrevem... perderiam qualquer sentido!!!

4 Comentários:

Anonymous malmequer disse...

A sério que acho fantástica a tua forma de escrever, repleta de sensações conseguiste transmitir-me o espaço, o tempo, os sons e o que ficou aquém do olhar.
A tua fina ironia e preciosa sensibilidade, não deveriam ficar confinadas a um espaço restrito. Deveria haver mais quem te pudesse ler.
Um abraço quentinho.

14 de junho de 2006 às 12:18  
Blogger apereira disse...

escrevo pelo simples prazer... para pessoas como tu me lerem... é só isso que me importa... partilhar com quem é deveras importante - irmã do do meu peito :-)
Um abraço apertado!!! Tenho saudades tuas mana.

14 de junho de 2006 às 16:01  
Anonymous andaimo's prince disse...

Fantástico. Senti-me lá. Obrigado pela forma como descreveste.

14 de junho de 2006 às 20:42  
Anonymous Anónimo disse...

Estive lá. Fui dos fiquei.
Gostei do que li.
Vrioon, sister.

25 de junho de 2006 às 14:28  

Enviar um comentário

<< Página inicial