segunda-feira, outubro 16, 2006

...em nome da terra...




Mal te vejo os olhos mas o teu olhar cai sobre mim em torrente. É esta a sensação que a trovoada me provoca. Ontem "voei" para a Serra só para poder apreciar melhor... é um fascínio. São estes momentos que me fazem pensar quão limitada é a nossa visão/imaginação... basta lembrar o inconcebível e imaginar o Universo... o que há para além daquele horizonte. Pode ser considerado absurdo... dizem-me: "tens uma grande pancada" ... admito... tenho, mas sou feliz assim :-)

12 Comentários:

Anonymous Inês disse...

E dizem muito bem!! Sua bruxa da chuva!! ;-)

17 de outubro de 2006 às 00:14  
Blogger apereira disse...

:-)... é este meu lado "das trevas"... muah ah ah ah...

17 de outubro de 2006 às 09:59  
Anonymous Arménio o trolha da Areosa disse...

Há, na vida, coisas, ligações, químicas e eléctricas que são do nosso inpranting genético desde o paleolítico. Porque olhamos tanto - e em silêncio - para a chama de uma lareira? És brilhante (porque tens brilho).

17 de outubro de 2006 às 14:49  
Anonymous mister simon disse...

engraçado!
eu estava em casa (a minha tem vista para a serra), e tb me deu para tirar fotos!

17 de outubro de 2006 às 16:41  
Anonymous mister simon disse...

escapou-me à bocado:
passa pelo meu blog, está lá uma casa com vista para a serra, simplesmente maravilhosa!
e depois diz de tua justiça.
:)

17 de outubro de 2006 às 16:47  
Blogger diabinho disse...

Boa, boa,
Eu tb estive a admirar a trovoada no domingo e ontém à noite...
É simplesmente espectacular...
I was energized...

18 de outubro de 2006 às 11:18  
Blogger apereira disse...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

18 de outubro de 2006 às 11:50  
Blogger apereira disse...

Só de pensar que, em pequenos, tinhamos um medo terrível, eheheh. Eras sempre o primeiro a chegar ao quarto dos pais...hihih :-)

Esta noite foi mesmo a doer. Estive de janela até tarde, não dormi grande coisa; tenho uma cabeça do tamanho do Castelo de Palmela :-{}

18 de outubro de 2006 às 11:56  
Blogger Cris disse...

Imaginar o Universo, e termos consciência do quanto pequenos e insignificantes somos, até perante uma "simples" trovoada.... sem sequer pensar nas fúrias devastadoras da Natureza, que tão mal tratamos....

por outro lado...ai...a chuva, a lareira, o vinho tinto, o abraço quentinho, os beijinhos....

Há coisa mais bonita e romântica que a Chuva?????????????????

Tou Apaixonada e depois dá-me para isto!! Sabes bem quem é o culpado!!!

18 de outubro de 2006 às 23:17  
Blogger Cris disse...

Pronto, é o amor, esqueci-me...Um grande beijinho e parabéns pelo post. gostei!!!


BEIJOS GRAAAAAAAAAAAANDes

Cris

18 de outubro de 2006 às 23:18  
Blogger apereira disse...

Ó cunhadinha ;-)... nem tempo tenho tido para te perguntar como estás ou dar um simples Olá!...

Os pequenos grandes prazeres da vida... são tão importantes e mais importante ainda é saborea-los como a tranquilidade da chuva... ora mais morraça ora mais intensa... é assim, também, o amor.

Fizeste-me respirar fundo com a lembrança desse cenário maravilhoso da lareira a crepitar silêncios por entre palavras secretas, olhares intensos de desejo e "conversas de pele"... o Inverno também tem estas coisas boas... o recato e resguardo de 4 paredes, cheiro de scones a saírem do forno quentinhos...vinho tinto aquecido e a descoberta espalhada pelo chão. :-)

beijos grandes.

19 de outubro de 2006 às 12:44  
Blogger filipe disse...

haja chuva.. haja sempre muita chuva, relâmpagos e trovões.. faz-nos falta as coisas que nos fazem sentir pequeninos.. obrigado pela intensidade..

19 de outubro de 2006 às 18:33  

Enviar um comentário

<< Página inicial