terça-feira, maio 02, 2006

uns apontamentos somatotópicos...



Por ocasião dos 150 anos sobre o nascimento de Sigmund Freud, lembrei-me da dica de um livrinho muito interessante, (existe, ainda... investiguei) editado em 1930 que se chama "Civilização e os seus Descontentamentos", que basicamente é um olhar pessimista e excessivamente desiludido sobre a civilização moderna, à beira da catástrofe. Tem uma série de críticas aplicadas à História, Religião e à Arte. (vou lê-lo outra vez...) é interessante fazer conjecturas de comparação destas críticas aos sentimentos instalados, nos dias de hoje. (edição Europa-América... há na fnac :-)

O "pai da psicanálise" como o chamam era um homem inovador, revolucionário no pensamento moderno, interessado pela "histeria" descobriu que a neurose resultava da repressão dos impulsos sexuais infantis - complexo de édipo - imortalizou técnicas, como a associação livre e o divã, após ter abandonado a hipnose (pois essa apenas resultava a curto prazo, não curava definitivamente a psicopatologia)

" o homem é um ser atormentado por impulsos conflituosos (líbido versus instinto da morte)"

Freud inovou em dois campos particularmente importantes e simultâneamente desenvolveu uma teoria da mente e da conduta humana.
A sua obra mais conhecida é a "Interpretação dos sonhos" datada do início do século, salvo erro, de 1900 (pronta 1 ou 2 anos antes, mas quis que fosse editada na viragem do século), explica o inconsciente e desenvolve um método para aceder ao mesmo.

Apresenta-nos o ID um motor do pensamento e comportamento humano que contem os nossos desejos de carácter sexual e perversos; o Superego que é a componente supressora do ID, representa os pensamentos morais e éticos e por fim o Ego que funciona como um regulador/mediador entre estes dois; proporciona a habilidade para se adaptar ao mundo exterior e à realidade cómoda do ID e Superego (o tal iceberg... os tais recalcamentos... hum hum hum....)

Saíram alguns livros sobre ele, biografias actuais com novos dados e outros sobre a sua mulher e a filha Anna que seguiu os passos do pai e se tornou psicanalista. Para quem tem interesse devorador pela mente humana (como eu)... é uma boa leitura :-)

2 Comentários:

Anonymous B man disse...

Como imaginarias uma consulta tua com Freud? Eu, por exemplo, se lhe dissesse que limpo a pila com papel higiénico depois do xixi... diria concerteza que era reminiscência de... nem faço ideia!

4 de maio de 2006 às 15:53  
Blogger apereira disse...

ahahahah... devia ser interessante... és mesmo um caso perdido!!
Quanto a uma consulta entre mim e ele... se eu estivesse no divã, aconchegada, a fazer associações livres... dormiria com toda a certeza... hummm.. nham...

4 de maio de 2006 às 22:11  

Enviar um comentário

<< Página inicial